Apenas por pessoas de alma já formada

segunda-feira, 11 de janeiro de 2010

Segredos de liquidificador

De repente, eu, que nadava alegremente, comecei a perder o controle da maneira mais violenta que meu corpo pôde aguentar. Meus braços e pernas iam e vinham em um chacoalhar desses de qualquer coisa posta em liquidificador e eu não achava o botão de STOP. Cada vez mais submersa eu estava e não achar o controle não era mais o pior. Eu não achava meus pulmões. Tentava respirar, mas não havia ar para tragar. O ar só saía em bolhas e mais bolhas. Não havia mais sentido ficar preso em meus pulmões. Eu iria morrer. Não restava alternativa. O liquidificador não parava. Até que parou. O corpo já submerso, alguém o achou. Sem ar. Sem vida. O liquidificador cansou do incessante chacoalhar. Embora tarde demais para aquela vida. (A minha morte.) E todo esforço em viver fora inútil. Entre a vida e a morte, o que existe é apenas um piscar de olhos.
.
E o vento não era vento. A luz não era luz. Era o meu corpo indo embora em uma desistência que em tudo seduz.
posted by mente inconstante at 16:11

9 Comments:

Que triste!!!
=[
Mas ainda assim lindo!!!

Bjs

11 de janeiro de 2010 16:23  

Nossa, que profundo. Amei!
Muito lindo seu blog tbm, viu?
Bjooss

11 de janeiro de 2010 20:45  

Nossa! O texto é mto profundo e triste. E essa é a pura verdade, entre a vida e a morte o que existe é apenas um piscar de olhos.. Mto lindo!
Bjus

12 de janeiro de 2010 08:09  

"E o vento não era vento.A luz não era luz" adoro coisas desse tipo.
Na maioria das vezes, o liquidificador só para depois da morte.

Lindo...
bj

12 de janeiro de 2010 09:46  

Sem palavras...Realmente lindo!tem certas coisas que só param com a morte.
bjo

12 de janeiro de 2010 13:12  

triste, mas lindo demais! Como sempre claro.
obg pela visita ;D
:*

12 de janeiro de 2010 15:21  

Você é ÓTIMA! Adoooooro demais seus escritos!

Olha... muito obrigada pela força, pelas suas palavras no meu último post. Fico feliz por mais uma vez me dizer que gosta tanto dos meus textos, enfim... Eu me sinto MUITO alegre por isso.
Pensarei direitinho antes de qualquer decisão precipitada.

Um beijo, querida.

12 de janeiro de 2010 16:12  

Triste...mas lindo!

Adorei!

Beijos

12 de janeiro de 2010 16:27  

O texto como sempre, é ótimo. Mas eu não gosto muito desse tipo de assunto sabe, acho muito triste ):

12 de janeiro de 2010 22:22  

Postar um comentário

<< Home