Apenas por pessoas de alma já formada

quinta-feira, 3 de setembro de 2009

O primeiro

Nossas mãos paralelas. Nossos corpos em pé, de frente um para o outro. Nós não nos tocávamos. Apenas nos olhávamos. Ele com aquele olhar que sempre parou meu mundo e eu com aquela cara de quem está apaixonada, morrendo de amores. Ele tocou levemente minha mão direita com sua mão esquerda. (Eu senti um leve frio na barriga quando ele fez isso.) Depois entrelaçou nossos dedos e, com a mão direita livre, afagou meu braço esquerdo, subindo lentamente em direção ao meu rosto. (Eu senti arrepios que fui incapaz de esconder com essa subida) Depois, com carinho, ele tocou minha bochecha e eu, satisfeita com o toque, fechei automaticamente meus olhos. Eu sabia o que aconteceria a seguir e o leve frio na barriga de leve não tinha mais nada. Minhas mãos começaram a suar frio. Eu tirei minha mão direita da sua mão esquerda e abri os olhos, balançando nervosamente a cabeça. Eu olhava para baixo, me recusando a levantar o olhar e ver sua expressão confusa com a minha reação. Eu dei um passo para trás. Ele deu um passo para frente. Com a sua mão direita, ele segurou meu pescoço, nos aproximando ainda mais.
.
- Olha para mim? – não era uma ordem. Era um pedido. Eu, então, vagarosamente levantei meu olhar em direção aos olhos dele.
- Você não quer? – ele me perguntou.
.
Lógico que eu queria, mas o nervosismo me impedia de continuar. Ele acrescentou:
- Eu não quero forçar nada. Eu gosto demais de você para fazer algo que você não queira. Se você quiser a gente pára agora.
Eu fui incapaz de dizer algo.
- Tudo bem, então. Acho melhor nós voltarmos. – ele disse triste, nem um pouco zangado, e me deu às costas, voltando para a festa da qual nós discretamente fugimos. Foi, então, que aconteceu. Quando aquele olhar que parava meu mundo virou as costas para mim, indo embora, o nervosismo deu lugar ao desespero. EU QUERIA! Era a oportunidade pela qual eu tanto havia esperado. Como eu podia deixar que ele simplesmente me desse as costas assim? Eu chamei seu nome:
- Alê, espera!
.
Ele parou. Eu corri em sua direção. (Como ele já estava distante!) Virei seu corpo para a direção do meu e não pensei duas vezes. Foi tudo tão rápido que o nervosismo foi incapaz de evitar. Eu me perdi naqueles lábios por tempo demais. Por tempo de menos. Eu não queria parar tão cedo. No início, meus dentes bateram nos dele e eu desejei parar ali mesmo. Eu não sabia o que estava fazendo. Mas, no instante em que ele segurou meu rosto com suas duas mãos, eu vi que não era apenas o seu olhar que parava meu mundo, mas o seu doce beijo também. Um gosto de chocolate com menta. O nosso (enfim, nosso) primeiro beijo. O primeiro dos muitos que viriam daquele momento em diante.

O meu primeiro beijo. O meu primeiro amor.
.
posted by mente inconstante at 16:59

14 Comments:

Lindo e lindo.

:D

Fiquei arrepiada aqui.

3 de setembro de 2009 18:41  

Aii q lindo...Emocionante!!

3 de setembro de 2009 20:00  

Meninaa, que lindo! *-*

3 de setembro de 2009 21:38  

Ai ai, adoreiiii!

3 de setembro de 2009 22:39  

Um doce.
Uma pena meu primeiro beijo não ter sido tão memorável!
Mas ainda gosto de sentir os frios na barriga. E quem não?

rs*
Beijocas.

3 de setembro de 2009 23:12  

muito lindo seu texto.
Primeiros beijos são constrangedores :$

4 de setembro de 2009 11:07  

Enquanto lia, parecia que via a cena. Como sempre maravilhoso texto!

Beijujubas

4 de setembro de 2009 12:29  

aii que lindo.
Pena que o meu não é assim tão bom pra ser lembrado.. Huuahsuahsuash

4 de setembro de 2009 19:37  

Oi, hoje é meu aviversário! Me dá parabéns! (http://pirulito-no-palito.blogspot.com/) É que eu tô muito feliz e recebi poucos parabén(s) no orkut, ai deprimiu.
beijos, Sofia (versão 1.4)

*desculpa o comentário, ctrl+c ctrl+v

6 de setembro de 2009 10:31  

Oi Vanessa. Sabe, la na companhia de teatro me pediram q cada um levasse um texto q gostássemos q tivesse a idéia de cena. O primeiro texto q me veio a cabeça foi um teu (hihi) É q teus textos são lindos demais e o q eu qria "te pedir" (entre aspas pq na realidade é mais um aviso ne...) é o texto 'Insônia'. Espero q não tenha problema nenhum... e acho q o pessoal vai amar teu blog qdo eu mostrar esse texto. E não é q qdo eu li esse novo post teu, me bateu a maior dúvida sobre qual dos dois eu levo... rsrsr. Só tenho muito a te agradecer. Um grande abraçO e q tua inspiração continui inabalável :D

7 de setembro de 2009 13:13  

Dps visita, comenta, segue o meu blog, sei lá, qualquer coisa assim, RS!
http://www.seavidalhederumlimao.blogspot.com/
;*

7 de setembro de 2009 21:55  

Aiii LINDHUUUUU D+

14 de setembro de 2009 09:18  

Você tem um dom. Eu nunca vi isso, em minha vida. Fantástica.

13 de outubro de 2009 08:12  

Uau! lindo.

11 de novembro de 2009 12:43  

Postar um comentário

<< Home