Apenas por pessoas de alma já formada

quinta-feira, 5 de maio de 2011

No quarto

Ele dorme ao meu lado na cama. Acendo o cigarro. Que cigarro? Eu não fumo mais. É o costume desgraçado falando mais alto. Observo a muda que ele fez algumas horas atrás, jogada no canto do quarto com seus pertences reunidos de qualquer jeito. Vou em direção a ela e a desfaço. Quero acreditar que não terminamos e que tudo vai voltar a ser como era antes, mas meu silêncio é em vão, já que ele me interrompe durante. Acorda. E meu olhar agora é carregado de medo. Vazio de esperanças. O que ele dirá? Que foi só a nossa última transa? Ele me surpreende. Dá-me um beijo na nuca, abraçando minhas costas que é quando por fim respiro aliviada. Seu beijo e abraço me dão a certeza que preciso: sim, voltamos e nada mudou.



(continua)
posted by mente inconstante at 01:01

4 Comments:

Eu vou esperar a continuação, tenha certeza... Otimo texto! besos!

5 de maio de 2011 11:38  

Esse Alexandre! rs... Como é bom vir aqui e me deparar com um texto apaixonante como este! Claro que espero a continuação... Parabéns Vanessa! Me faz tão bem vir aqui prestigiar cada post seu! São cativantes, detalhados e me fazem imaginar cada cena, cada emoção sentida! Grande beijo e bom fim de semana!

6 de maio de 2011 10:58  

Isso me fez lembrar da canção da Calcanhoto:
"Ainda tem o seu perfume pela casa. Ainda tem você na sala porque meu coração dispara?
Quando tem o seu cheiro dentro de um livro. Na cinza das horas..."

Tah muito bom o texto. Espero o restante...

6 de maio de 2011 18:40  

Ahhh amei ;)

10 de maio de 2011 22:07  

Postar um comentário

<< Home