Apenas por pessoas de alma já formada

domingo, 10 de abril de 2011

Acne

Há uma espinha em meu rosto, incomodando meu sono. Não está me fazendo nada bem, mas se eu ousar retirá-la dali, irá doer de certo e pode vir a deixar uma marca profunda demais para mim que odeio rompimentos. Sabe deus quanto tempo levarei para me recuperar dela. É melhor deixá-la onde está. Mesmo me fazendo tão mal. Há medo dentro de mim e não sei sequer se tenho força para terminar. Com a espinha, eu quero dizer. É sobre a espinha que eu estou falando. Já me acostumei com ela, pior. Mesmo me machucando como por vezes faz. Que dilema esse que passo agora. Ela nem é tão maléfica assim. Será que aguento não mexer nela por mais tempo? Ou termino logo de uma vez por todas? Um dia precisarei enfrentar essa dor. E não será a última em minha vida. O que não é um conforto. Coitado do meu coração. Digo, pele. É sobre a espinha que eu estou falando, não é?
posted by mente inconstante at 08:31

3 Comments:

É incomoda,e como icomoda a agonia causada pela indecisão,mas talvez a 'espinha' esteja tão ansiosa para terminar, digo secar, quanto você. Como é complicado essas questões de coração, ops pele..
Adorei! bjs

11 de abril de 2011 13:24  

Tem coisas que não são assim TÃO maléficas, mas incomodam muito. Mas todo ciclo tem seu fim e logo ela seca.
beijos

13 de abril de 2011 13:29  

Dá uma vontade de tirar, e mesmo não querendo não paramos de pensar nele, digo, nela, na espinha...E acabamos por não nos darmos conta de que um dia ela irá secar, e se deixará cicatriz ou não, isso já não depende só dela, mas também de nós mesmas.

Beijos.

16 de abril de 2011 22:37  

Postar um comentário

<< Home