Apenas por pessoas de alma já formada

sábado, 14 de maio de 2011

Na escada

Eu sei que esse momento pode ser o último de nossa história. Ou não. Ela pode me ligar daqui a duas semanas, um mês, inventando uma desculpa qualquer sobre uma samba-canção que eu esqueci em seu quarto. Ou eu posso aparecer bêbado reclamando de alguma lâmina de barbear que deixei em seu banheiro (como se eu não pudesse comprar outra). Ou essa pode ser realmente a última troca de olhares entre duas pessoas que insistem em manter o orgulho em suas atitudes. Eu tenho plena consciência disso. Que continuar com as mãos enfiadas nesses bolsos me fará perder a garota que fica tão linda com os cabelos soltos. E exatamente por estar pensando tanto e nada fazendo, ela foge de meu silêncio. Volta para seu apartamento com os mesmos passos apressados com que desceu até mim. E eu corro atrás dela, antes que seja tarde demais. Puxo uma de suas mãos. Ela para. Então, é isso? Ela só veio devolver uma caixa de fósforos praticamente vazia? Pelo menos, ela teve uma desculpa. Eu nem isso tenho. Ou será que uso a desculpa esfarrapada da lâmina de barbear já agora? Ainda é muito cedo.


(continua)
posted by mente inconstante at 08:00

3 Comments:

Q maravilha!
A gente sempre arranja uma desculpa.;)

Você é um romance, vanessa!

14 de maio de 2011 13:02  

Estou adorando esta história contada em partes.
Imagino cada momento contado com vontade de saber mais.

Com contiuação, tenho visitado sempre aqui.
Parabéns!
(continua)

Abraço

16 de maio de 2011 08:27  

Sim, sempre sexiste uma pequena desculpa, quando existe um grande orgulho..
Bj!

17 de maio de 2011 13:04  

Postar um comentário

<< Home