Apenas por pessoas de alma já formada

quarta-feira, 21 de abril de 2010

A vingança

Então, o bote da cobra quem deu fui eu e não ele. O assassino não esperava tal atitude de mim. Ironia morrer com seu próprio veneno? Seria ele tão esperto a ponto de notar a morte ao seu lado, esperando apenas pelo momento certo para arrancar-lhe a vida? Segui seus passos trôpegos, embora eu também não estivesse em meu melhor estado. Mas me recuperaria, ao contrário dele que ficaria para sempre no mesmo estado: morto. O veneno que injetei em sua nuca fora o mesmo que ele usou para matar minha amada. Era mortal. Ele não sobreviveria. Eu consegui o que desejava, embora bem no fundo eu soubesse que isso nunca teria um fim, teria? Mesmo que estejamos todos mortos, não haverá um "...e foram felizes para sempre". A princesa de meu conto de fadas já não está mais aqui.
(continua)
posted by mente inconstante at 18:39

2 Comments:

Hum...
A cada hora algo novo surge...
Gostei...
Quero ler mais...

Bjs

22 de abril de 2010 11:40  

!!! Adorei! (!!!)
mais mais ^-^

bjão =^.^=

22 de abril de 2010 13:13  

Postar um comentário

<< Home