Apenas por pessoas de alma já formada

sexta-feira, 17 de julho de 2009

Visita

A casa continuava a mesma. Na mesma rua com os mesmos móveis, dispostos exatamente como estavam antes. A estrutura também era igual. Ainda havia uma sala de estar, de jantar, quarto, cozinha, escritório. Mas havia também caixas e mais caixas espalhadas por todo canto. Leves elas pareciam ser, caso tivesse a vontade de levantá-las. No entanto, quando o fez, viu que eram pesadas (embora assim não parecessem). Caixas repletas de que se tudo continuava nos mesmos lugares de sempre? Os livros e dvds nas prateleiras, as porcelanas nos armários, os conjuntos de mesa e banho nos guarda-roupas. O que poderia haver em todas aquelas caixas, afinal? Ela era curiosa. Então, abriu-as e viu o que nelas havia. Havia os momentos passados. Os risos, abraços e beijos dados. O amor e raiva sentidos. As declarações e brigas de amor. Havia tantas coisas! Coisas que ambos deixaram para trás, bem ali, naquela casa. Doía mexer nelas novamente. Então, fechou-as. Tão rápido que, sem sequer perceber, esqueceu algumas do lado de fora. Aquelas que, até então, tinham sido esquecidas, voltaram e acompanharam-na inconscientemente, mesmo quando da casa ela saiu. O que esquecido foi não era mais passado. Tudo o que havia sido abandonado pelos dois, ali, não podia mais ser encontrado em caixas de papelões invisíveis. Agora tudo fazia parte de uma caixinha de lembranças tão real que ninguém podia dizer que não existia. Uma caixinha que cada um de nós possui dentro de si e sem ela não consegue viver. Uma caixinha de lembranças chamada...
.
memória.
.
Nem o futuro é capaz de apagar algo que um dia foi tão bom, meu amor.

Marcadores:

posted by mente inconstante at 15:12

4 Comments:

Belo texto, Vanessa.

'Nem o futuro é capaz de apagar algo que um dia foi tão bom, meu amor.'

Pois é. Não mesmo.

:**

17 de julho de 2009 21:11  

Lindo!
Grande imaginação e sentimento...
Amei.

bj =*

18 de julho de 2009 10:05  

Lindo!é a palavra que define o que você escreveu,então foi o RubEM Alves sim,aliás estou acabando de ler o livro vou sentir falta dele,me apaixonei pelo o que ele escreve,faz eu parar e refletir,acho que vou ate ler outro livro dele.

18 de julho de 2009 19:32  

Vou fazer um control c + control v loucamente aqui ;DD

Selo pra ti no blog

18 de julho de 2009 20:07  

Postar um comentário

<< Home