Apenas por pessoas de alma já formada

terça-feira, 28 de abril de 2009

Cena:

Você segura seu pequeno cão no colo com cuidado, gentilmente, não consegue parar de fazer-lhe carinho. Com o tempo, você passa a querer abraçá-lo e a cada dia que passa você o faz com mais intensidade. Até que você percebe que começa a usar a força. Abraça seu cão cada vez mais forte, tão forte que começa a nele doer. Os segundos se transformam em minutos. A dor torna-se mais aguda. Você começa a sufocá-lo. Ele quer sair do seu colo. Fugir de seu abraço. No início, o abraço, carinho e colo eram bons, mas com o tempo de repente tudo se tornou insuportável. O cão quer sair. Remexe-se, pressiona suas patas contra aquele peito que um dia já lhe fora confortável. Não consegue. Você o abraça muito forte. O cão tenta. Tenta mais uma vez. Até que percebe. Você é alto. Se ele conseguir se soltar finalmente, a dor que agora o atormenta cessará, mas a queda trará uma dor ainda maior. O que fazer? Não resta nada ao cão fazer. Apenas a você. Ou soltá-lo aos poucos, aproximando-o do chão. Ou diminuir a intensidade de seu abraço, voltando a torná-lo aconchegante a seu cão. O cão talvez ainda queira se soltar de qualquer maneira. Experiências assim traumatizam o coração.
posted by mente inconstante at 16:02

4 Comments:

Me fez pensar no sentimento de posse que constantemente chamamos de amor. Amei! :)
Parabéns.

28 de abril de 2009 18:36  

Como se coloca um plano de fundo no blog?

Bjs


Juuh Costa

http://chocolateselimoes.blogspot.com

28 de abril de 2009 18:48  

Esqueci de comentar...
Acredita que nunca assisti ao filme que você falou? :\ Vou lembrar de assisti-lo só para comparar com o texto! ausahu
Beijo!

28 de abril de 2009 19:31  

Que lindo o texto imaginei a cena na cabeça enquanto lia adoro isso simplicidade realismo e sentimentos num único texto...faz a gente viajar!Parabéns!Beijão!

28 de abril de 2009 20:45  

Postar um comentário

<< Home