Apenas por pessoas de alma já formada

segunda-feira, 21 de maio de 2012

Essa mesma dor

Você me machuca de forma inconsciente, não releva meus sentimentos e pisa no que te ofereço. Há dor e isso a ti não importa. Estás feliz sem minhas incessantes complicações. Reviro inquieta na cama. Sono pesado aqui não existe. Há olhos vidrados em ti, na ilusão tua que habita meus pensamentos. Os malditos olhos não fecham pelo medo de (te) perder a esperança de vista. Mas e o cansaço? O que fazer com o cansaço? Os dias passam e a situação não muda. Posso jurar que vieste, no entanto tão rápido. Nem permaneceu na memória. O que ficou foi a vontade de bis. É só me dizeres sim que de repente o sono chega. E quem sabe assim de sono recobrado, o desejo incessante de te ter ao lado mostre sua verdadeira identidade. Vai ver é apenas delírio e olha que nem sinto febre. É apenas a dor de te ter, mas sempre te ver partir.
posted by mente inconstante at 10:55

1 Comments:

A espera é mesmo coisa de se tirar o sono. Bjs

23 de maio de 2012 22:52  

Postar um comentário

<< Home