Apenas por pessoas de alma já formada

sábado, 18 de setembro de 2010

Frozen scene

Eu dei um "tchau" demorado. Você respondeu com um "tchau" casual. Como se ainda fôssemos fazer aquilo mais e mais vezes por vários meses. Eu quase derramei uma lágrima. Você nem ao menos percebeu o que acontecia. Não era um mero "tchau". Era uma despedida. Eu não voltaria a procurá-lo. Eu estava cansada demais. Brincar de gato e rato não é comigo. Você sorria. Eu lutava para não chorar. Eu passaria a noite chorando de certo, mas, ali, naquele momento, eu não podia demonstrar uma lágrima sequer. Seria muito para o orgulho que dentro de mim prevalescia. Eu queria congelar a cena. Apreciar um pouco mais os traços de seu rosto que eu tanto amava (que ainda amo, mas é preciso lembrar que é preciso esquecer, eu não quero mais nada com você). No entanto, se eu me demorasse mais naquele corriqueiro momento, você perceberia o que estava ocorrendo e eu não aguentaria uma despedida verdadeira. Eu desmonaria e com certeza voltaria atrás na minha decisão. Eu, enfim, fechei a porta não só do seu carro, mas também do meu coração.
posted by mente inconstante at 10:00

2 Comments:

Despedidas...são muito, muito horríveis!!(isso q eu escrevi ficou estranho HUAHUAHU)Principalmente aquela que amamos é clichê, mas é a verdade.

18 de setembro de 2010 21:35  

despedidas são sempre horriveis.
Já fiz isso uma vez e me arrependi tanto .-.
espero que seja diferente.
:*

24 de setembro de 2010 10:23  

Postar um comentário

<< Home