Apenas por pessoas de alma já formada

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Distinto paralelo

Eles dividiam o mesmo carro, mas não eram conhecidos. Um era taxista e o outro apenas mais um cliente para aquele empregado da vida. Cada qual com suas próprias preocupações. O taxista põe para tocar sua música favorita, a fim de aliviar o estresse, tornar o trabalho menos insuportável, mas o cliente não gosta. Enquanto a música afasta o taxista de seus problemas, para o cliente só o aproxima de suas frustrações. Aquela música lembra ela. E a ela do cliente é diferente da ela do taxista. O taxista gosta de pensar nela, porque ela é a luz que ilumina seu caminho e o encoraja a seguir em frente. Já para o cliente, pensar nela (a sua ela) significa lembrar o término, tudo o que os levaram até aquele momento. O momento em que cada um vive sua vida separadamente. São duas pessoas em um mesmo carro, indo para um mesmo lugar, mas com tanto diferente. Eles não são iguais, mesmo que fossem gêmeos ou amigos. Ninguém é igual a ninguém. Nossos pensamentos nos tornam distintos. Nossas singularidades nos tornam iguais. Somos iguais no mesmo sentido: cada qual com seus próprios sentimentos e ideais.
posted by mente inconstante at 12:39

2 Comments:

''Somos iguais no mesmo sentido: cada qual com seus próprios sentimentos e ideais.''
Verdade verdadeira :), gostei!
Bjos

31 de agosto de 2010 20:58  

É verdade, menina. É bem verdade.
Ah! Os contrastes....

1 de setembro de 2010 19:06  

Postar um comentário

<< Home