Apenas por pessoas de alma já formada

quinta-feira, 1 de janeiro de 2009

A vida é o que a gente faz dela

Tenho a impressão, senão quase certeza de já ter lido ou ouvido o título aí em cima em algum lugar. Não duvido. Afinal, são tantos anos de comunicação que dizer algo puro ou ineditamente original é quase, senão, impossível.
O que acaba não importando, porque a vida realmente é o que a gente faz dela e exatamente por concordar com essa frase (sendo ela original ou não) que eu ultimamente tenho sentido uma sede. Sede de quê? - você me pergunta. Pois lhe direi de que. Sede de viver. Viver mais com meus amigos. Viver mais com meus amores. Viver mais a vida intensamente.
A vida é curta demais. Isso eu sei que você já ouviu ao menos uma vez na vida. Todos nós já ouvimos. E ouvimos todos porque é verdade. É curta principalmente porque não temos tempo para aproveitar e quando temos preferimos descansar da nossa rotina a quebrá-la.
Tenho medo de envelhecer sem saber (ou perceber) que não envelheço a cada ano que passa como um salto, um pulo, de 365 dias a 365 dias. Envelheço a cada segundo que passa e isso é o mais assustador, porque pensar assim só aumenta ainda mais a minha sede não saciada por conta dessa rotina da qual quero tanto me desvincular.
Não tenho mais paciência. Quero namorar todos os dias. Quero amar todas as horas. Rir todos os minutos e viver todos os segundos. Tenho ódio de mim mesma quando deixo as coisas para amanhã, porque, se dependesse de mim, o que quer que seja seria hoje, AGORA! Como se o tempo fosse meu inimigo e eu estivesse para sempre a fugir dele.
Estou errada? Está você a me chamar de vagabunda? Como se esse texto fosse uma justificativa para o não-trabalhar? Pois só lhe direi uma coisa e uma única vez: quem estiver a pensar assim não sabe (e terei pena se souber tarde demais) que a urgência maior nessa vida não é a de existir e, sim, a de viver!
P.S. Amar, rir e chorar, eis as três coisas que quero para sempre ter em minha vida. Todas as três. Sempre. Amar para me sentir amada. Rir para me sentir feliz e chorar para me sentir viva.
Ano novo, gente! Uma questão para se refletir...
posted by mente inconstante at 22:56

2 Comments:

concordo inteirament com vc...

19 de fevereiro de 2011 13:55  

do q seria a vida se não fosse vivida....

19 de fevereiro de 2011 13:56  

Postar um comentário

<< Home